Imagem

Imagem
(Crédito da foto: www.santoscity.com.br)

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

ACESSIBILIDADE: Quem reconhece a importância de oferecer, CORRE ATRÁS!!!

Por: Débora Rossini 

Fala, galera! 
Recebi um link bem bacana de uma postagem feita no blog ''O Corvo Veloz", e que tratava de uma iniciativa bem interessante relacionada a Acessibilidade no lazer e entretenimento. Achei bem interessante e, por isso, resolvi abordá-la aqui!!! Prova de que, quando alguém QUER MESMO promover acessibilidade, corre atrás e consegue!!! 

Trata-se de uma dupla musical (Cezzar e Rodolfo) , do gênero ''sertanejo universitário", da cidade de Lavras/MG - e que, para ampliar seu público, resolveu não se restringir apenas às pessoas, digamos, ''dentro do padrão tradicional"; mas deu um jeito de se esforçar para atingir também o público com alguma dificuldade (ou impossibilidade) de enxergar e de escutar!!! 

Um exemplo é a música ''Anjos", de autoria da dupla, que foi traduzida para LIBRAS. A estratégia foi bem-sucedida, ganhando popularidade entre pessoas surdas e pessoas que trabalham com a língua de sinais. Um outro exemplo de acessibilidade é a descrição textual das fotos da dupla sertaneja, em seu facebook - na qual descreve as cenas, o tipo físico dos cantores, o que eles estão fazendo ou segurando, etc. Desta forma, a galera que não enxerga consegue ter um acesso mais amplo ao conteúdo postado na página deles!!! Há planos, também, de colocar audiodescrição nos videoclipes da dupla, para a galera cega curtir o trabalho feito! Uaaaauuu!!! Show de bola, né, galera?? 

Para conseguir todo esse trabalho de inclusão (e consequente ampliação do número de fãs), a dupla Cezzar e Rodolfo está contando com a assessoria do estudante de Letras/Libras Delmir Rildo Alves, da UFJF. O rapaz já fez diversos trabalhos envolvendo Inclusão e Acessibilidade para pessoas com deficiência auditiva e/ou visual. (Conheço de perto o trabalho do cara: é TOP!!!! :-D ) 

Conforme Delmir disse em entrevista ao site ''O Corvo Veloz", ''O trabalho que estamos realizando não se restringe apenas à interpretação em Libras, pois já começamos a descrever as fotos para que as pessoas cegas também tenham acesso à informação. Além disso, já estamos realizando o trabalho para colocar a áudio-descrição nos vídeo clips", conta ele.  

O legal disso tudo é que, mesmo que uma pessoa que tenha deficiência visual ou auditiva não tenha como gênero preferido o sertanejo universitário, ela pode, por meio dessa iniciativa de acessibilidade, conhecer o trabalho da dupla - e ficar ''por dentro" do que está rolando! Imagina, numa roda de conversa, na qual há apenas uma pessoa com deficiência (visual ou auditiva) e onde todos estão falando sobre os ''hits" que estão sendo tocados... em vez de a pessoa com deficiência ficar ''boiando", ela pode participar do papo e dar seu parecer... Ou seja: iniciativas como estas acabam, indiretamente, dando um ''turbo" no processo de socialização da pessoa com deficiência!!!! Já pensaram por este lado?? :-) 

MORAL DA HISTÓRIA: Não tem mais ''desculpa" de que acessibilidade e inclusão são coisas difíceis de se fazer, hehehe!!! Quem realmente TEM INTERESSE no acesso universal de pessoas a seu trabalho, produto ou serviço , corre atrás, vai lá, busca ajuda e faz! E olha que estamos falando, neste caso, de um trabalho de lazer/entretenimento! Então, mais um motivo para os prestadores de trabalhos essenciais (educação, saúde, adequação de uma empresa ao trabalhador com deficiência, dentre outros serviços básicos e essenciais) verem o exemplo, e saírem do ''comodismo"! Viram só?? :-D 

Gostou do texto? Comente abaixo! Ou bóra lá pro Facebook conversar mais!!! 

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Tá com vergonha de seus óculos? Relaxa: o ''Sopa" te dá uma força!

Por: Débora Rossini 

Ooooopa! O texto de hoje é para motivar a galera com Síndrome de Irlen (um problema de visão) que necessita de usar óculos com lentes filtrantes bem escuras para corrigir o problema oftalmológico. A recomendação é que se use os óculos corretivos em tempo integral, só tirando para tomar banho e dormir, sob risco de o cérebro não ser estimulado corretamente no processamento visual, deixando a correção incompleta. 

Mas, e se ainda assim a pessoa (seja criança, adolescente, ou até mesmo adulto/a) ainda fica com constrangimento em usar tais óculos em público? (Afinal, eles têm aparência muuuito parecida com óculos de sol, e diferentes dos óculos de correção para problemas de visão mais comuns... o que pode gerar comentários desagradáveis de pessoas ao redor!) Bom... veja o post que fiz na minha fanpage ''Driblando e Vencendo a Síndrome de Irlen" e que reproduzo aqui. Se você é paciente, ou pai/mãe de algum, este texto é para você e/ou seu filho!!! 

''Essa vai para motivar as pessoas com Síndrome de Irlen que possuem óculos com lentes bem escuras, e que ficam se sentindo, no sentido negativo, ''diferentes" das demais (e insatisfeitas com isso):

 Saibam que, além de os óculos poderem ficar charmosos - sobretudo se combinados com um vestuário, corte de cabelo e ''produção" bem bacana, eles são os indicativos de que a pessoa realmente TEM um problema de visão e que possui algumas necessidades especiais - o que facilita na hora de conseguir ajuda na escola, trabalho, faculdade, certos serviços - e até mesmo de conseguir maior credibilidade na hora de solicitar atendimento especial quando necessário.

 Lembre-se que as pessoas SEM Síndrome de Irlen NÃO conseguem enxergar direito com lentes escuras ou coloridas em ambientes fechados ou horários noturnos (e sentem incômodos e dores de cabeça e nos olhos se fizerem isso.)... Então, se vocês (que TEM a Síndrome) andarem com seus óculos no rosto (que são feitos sob medida para você e que não devem causar desconforto), e com a carteirinha do Hospital de Olhos (que atesta que vocês usam os óculos para fins médicos e não estéticos), já é ponto a favor para vocês que têm Irlen - diminuindo as chances de o povo achar que vocês estão fingindo ter deficiência para levar vantagem indevida.

 Outra coisa: deu vontade de usar lentes de contato para corrigir Irlen? Se você tiver dinheiro para pagar, beleza. Mas lembre-se que pode ser uma ''faca de dois gumes" : por um lado, pode dar a aparência física tão desejada para alguns pacientes; por outro lado, podem acontecer situações nas quais vocês tenham de esclarecer suas dificuldades de visão, e as pessoas ficarem duvidando - mesmo com o laudo em mãos... 
(Basta entrar na internet e ver relatos de pessoas com baixa visão que não possuem alterações anatômicas externas nos olhos, e que o povo fica ''detonando" com eles, chamando-os de 'cegos fakes' e 'oportunistas". Ou então relatos de usuários de perna mecânica que estão de calça jeans e, com a prótese não-aparente, ouvem comentários desagradáveis.) 
Principalmente para as pessoas mais sensíveis e emotivas, isso pode causar muito transtorno emocional, não é verdade???

Só mais uma diquinha: As pessoas [ao seu redor], por outro lado, incomodam-se por VOCÊ usar óculos escuros em situações não-comuns? Problema é DELAS e não seu! =D Afinal, seu amigo ou colega gosta de VOCÊ ou da sua aparência? ;-) Fica aí a reflexão!!!

 O problemão é você ficar evitando usar os óculos, só para agradar os outros, e depois ficar com sua correção visual prejudicada (uma vez que, para neuroadaptação completa, o paciente tem de usar os óculos O TEMPO TODO, só tirando pra tomar banho e dormir!) Encare os óculos como parte de sua anatomia, e... boa sorte! :-) ''

Gostou do texto? Comente abaixo!!! 

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

SEM MIMO EXCESSIVO NA MOLECADA!!!

Por: Débora Rossini 

Oooopa! O post que se segue foi originalmente publicado na minha fanpage "Driblando e Vencendo a Síndrome de Irlen"... acabou que, sem modéstia nenhuma (kkkkk), gostei tanto dele que resolvi reproduzi-lo aqui também. Afinal, depois de um tempo, as postagens no Face ficam difíceis de serem localizadas, né? No blog fica bem mais fácil de achar, mesmo que tenha passado bastante tempo após a publicação e novas postagens tenham sido feitas. Bom, vamos lá. 

O que eu escrevi, no texto original, foi aplicado à Síndrome de Irlen (um tipo de problema de visão), devido ao tema da fanpage na qual primeiramente publiquei o texto. No entanto, deixo claro que a abordagem feita vale NÃO SÓ para quem tem Síndrome de Irlen, mas QUALQUER tipo de limitação visual (baixa visão ou cegueira.) Aliás, vale para qualquer DEFICIÊNCIA OU NECESSIDADE ESPECIAL!!! Hehehehe! 

Bom, vou parar de ''encher linguiça" aqui (kkkkk) e vamos ao conteúdo que interessa!!! :-D 

Sabe-se que, muitas vezes sem perceber, os pais e mães da geração atual têm tendência a ''mimar" os filhos - ainda mais quando não podem dar-lhes toda a atenção que gostariam - seja por falta de tempo, ou por distância geográfica, ou por outros motivos particulares. E já é sabido que, muitas vezes, crianças e adolescentes que são superprotegidos acabam ficando indefesos para enfrentar os desafios que a vida ''de gente grande", mais tarde, lhes obrigará a superá-los... ;-)

Pois bem: este post é destinado aos pais e mães de crianças e adolescentes com Síndrome de Irlen (mas é interessante que seja lido por todos os internautas que acompanham esta página, hehehe!)  :-)

 Seu filho(a), criança ou adolescente, está tendo dificuldades na escola? Tá sofrendo algum tipo de bullying ou discriminação??? Ajude-o(a), dê-lhe a atenção necessária, busque ajuda profissional (oftalmológica e, dependendo do caso, até mesmo pedagógica)... mas ensine-o(a) a lidar emocionalmente com os desafios - e até mesmo lidar com as incompreensões que, certamente, ocorrerão em uma ocasião ou outra... para que, no futuro, ele(a) dê conta disso sozinho(a)... E quando o(a) seu filho(a) com S. de Irlen crescer, e for fazer faculdade em outra cidade, enfrentando os desafios naturais de quem sai de casa para estudar, SOMADOS aos desafios de quem tem Síndrome de Irlen??!! Pois é... 

Portanto, minha dica para os pais e mães é a seguinte: por mais que dê vontade de superproteger seus filhos com Síndrome de Irlen, tentando poupá-los dos aborrecimentos e frustrações, não o faça!!! Em vez disso, eduque-os para a realidade, mostrando que os ''perrengues" (e até o fato de terem de abrir mão de certas coisas para conquistar outras) fazem parte da vida. E ensine-os desde novos a terem foco, força emocional, drible das adversidades e... claro, disposição para serem pessoas otimistas e de bem com a vida, assim mesmo! =) É isso aí, gente!!!

Gostou do texto? Escreva sua opinião no espaço destinado a comentários, abaixo!!