Imagem

Imagem
(Crédito da foto: www.santoscity.com.br)

terça-feira, 31 de maio de 2011

"Como deve ser a acessibilidade para deficientes visuais em instituições de ensino?"

Por: Débora Rossini

Oooooooooopaaaaa!!!! De volta ao batente no teclado do computador!!!! Bom, galera, vocês que estão acostumados a ler e ouvir sobre a questão da acessibilidade para deficientes visuais em escolas e faculdades, devem estar se questionando:

"-EU SEI que tem que ter acessibilidade... mas COMO implementá-la???"

Se você, leitor do "Sopa", se enquadra nesse grupo de pessoas que está fazendo a pergunta acima, relaxe!!! :-) Tcham-tcham-tcham-tcham!!! Os amigos que escrevem o site "Movimento Livre" fizeram um post bem esclarecedor sobre o assunto. Dê uma olhada lá:

http://movimentolivre.org/artigo.php?id=135

Ficou "show de bola" o texto que eles fizeram! :-)

Bom, o post de hoje fica por aqui... a "Sopeira" que vos escreve tem de terminar de estudar para uma prova de Matemática!!! (Uê, sou graduanda em Matemática... quem está na chuva é para se molhar, rerrerré!!!) . Boa leitura!

segunda-feira, 30 de maio de 2011

"Práticas Inclusivas no Ensino de Física e Matemática"

Por: Débora Rossini


Oooooopaaaa!!! De novo ao batente na blogosfera! :-)


Bom, o Fórum de Integração Universitária da Universidade Federal de Lavras encerrou-se, mas o “Sopa” estava devendo aos leitores o relato de mais um minicurso ÓTIMO que teve no referido evento, e que ocorreu em dois dias (terça e quarta-feira)!!!!


O minicurso, denominado “Práticas Inclusivas no ensino de Física e Matemática”, foi ministrado por Paola Trama Alves dos Anjos, mestranda pela UNESP. Ela faz mestrado na área de Educação em Ciências, para deficientes visuais. Curiosidade para os leitores: adivinhem quem é o orientador dela????? É o professor Éder Pires de Camargo! Você, leitor do “Sopa”, que vem acompanhando todas as postagens, certamente lembra-se dele: é o professor de Física da UNESP, que é deficiente visual e do qual foi falado na postagem do dia 09/02/2011, intitulada “Física para Deficientes Visuais: você já pensou nisso?” Mas se você é um leitor do “Sopa” que está chegando agora a este site, não fique acanhado: é só acessar o referido post, que aí você vai saber quem é este professor "show de bola"!!! :-)


Bom, vamos falar sobre o minicurso?


No primeiro dia, a abordagem foi teórica: foi explicado o que é um deficiente visual – do ponto de vista médico e educacional - , como fazer para atender às suas necessidades educacionais, como elaborar uma aula em uma sala de aula regular que contenha deficientes visuais, etc. O mais legal é que a prelecionista destacou alguns pontos interessantes:







    • Geralmente, tem muito educador que diz assim: “Tenho 40 alunos na minha sala, e 1 'de inclusão'”. É importante que, urgentemente, os professores mudem esse modo de se expressar, e passem a dizer “Tenho 41 alunos”... e pronto! Isto porque o aluno 'de inclusão' – leia-se, aluno com necessidades educacionais especiais- é um estudante como qualquer outro; só que necessita de equipamentos e metodologias que atendam ao seu modo de aprender;







    • Tem muito educador que, ao receber a notícia de que vai ter um aluno com necessidades especiais, exclama: “Nossa, vou ter então que preparar duas aulas, com dois materiais didáticos???? Um para a classe regular e outro para atender a esse aluno 'especial'”? Claro que não... pode-se -e deve-se!- preparar uma aula só, segundo a prelecionista Paola. E como preparar essa aula? Oras, atendendo ao conceito de “desenho universal”, e de forma que ela atenda a todos os alunos da sala! Assim sendo , a aula e os materiais devem ser elaborados de tal modo que tanto um estudante “sem deficiência” possa compreender e utilizar a seu modo, quanto um estudante com necessidades especiais (ex: visual) possa compreender e utilizar do jeito que lhe for mais adequado.




Exemplo: suponhamos que numa classe de 41 alunos, um destes seja deficiente visual e o restante seja “sem deficiência”. As aulas devem ser elaboradas de forma que tanto quem aprende visualmente quanto quem aprende sem a visão podem acompanhar! E no que se refere a materiais didáticos, eles devem ser elaborados de tal modo que estimulem os diversos sentidos (ou seja, multissensoriais). Assim, quem enxerga pode valer-se de tais materiais, ao ser estimulado visualmente e de modo tátil, por exemplo. E quem não enxerga, pode utilizar esse mesmo material utilizando os ouvidos e/ou o tato, por exemplo. Resumindo: quanto mais sentidos os materiais estimularem no aluno, melhor! Aí cada aluno utiliza os sentidos que lhes são possíveis , ou os de sua preferência!


No segundo dia do minicurso, foi uma demonstração prática de como tais materiais multissensoriais funcionam. A prelecionista Paola levou, para a plateia, alguns materiais didáticos confeccionados com materiais de baixo custo (isopor, lã,arame,palitos, etc), e que podem ser confeccionados facilmente por qualquer pessoa (tanto por professores, quanto monitores, como pelos próprios estudantes). Assim sendo, foi possível ver um sistema cartesiano, para representação de gráficos, em alto-relevo , confeccionado com linhas, isopor e alfinetes; disco de Newton com adaptações de estimulação sonora e olfativa (para atender também àqueles estudantes que não enxergam); modelo esquemático de astronomia, explicativo de como ocorrem os eclipses, feitos com linhas, arames e bolas de isopor, que funciona tanto para quem vê quanto para quem não vê (e, aí, entra em cena a percepção tátil)...




TESTADO E APROVADO!!!


Na plateia, havia um estudante cego, que “testou” os materiais utilizando os sentidos que lhe são remanescentes. Deu pra ver que o rapaz gostou bastante, e compreendeu direitinho fenômenos físicos e modelos matemáticos que, normalmente, são representados por meio de desenhos na lousa e nos livros (algo inacessível para um cego!!!)


Os materiais foram passando de mão em mão para o restante da plateia, que era normovisual. Percebeu-se, pelos comentários, que, “quem tem visão normal, vê e entende perfeitamente a explicação dada por meio de tais materiais multissensoriais... mas, quando fecha os olhos, não consegue entender nada! Os deficientes visuais conseguem , mas os normovisuais não!"


Paola esclareceu que os deficientes visuais costumam ter os sentidos remanescentes mais , digamos, treinados, que um normovisual de olhos fechados. Esse fenômeno dos sentidos remanescentes mais apurados é por causa da prática que os deficientes visuais possuem, com a estimulação constante de tais sentidos, já que não podem contar com a visão!


(Só de curiosidade: é claro que um normovisual que já foi deficiente visual - e que recuperou a visão há relativamente pouco tempo- poderá ter tanto a percepção típica de um normovisual quanto a percepção característica de um DV. Aí, neste caso excepcional, é como se tivessem duas 'pessoinhas' dentro daquele corpo: uma que enxerga e uma DV, bastando, para isso, abrir ou fechar os olhos. Mas cada caso é um caso, viu?????? Nem todo mundo é assim... tem "ex-cego" que, mesmo enxergando com os olhos, ainda tem dificuldades de percepção visual e, ao "atrapalhar-se" com o raciocínio visual, continua usando os sentidos remanescentes, na busca por um melhor desempenho em suas atividades. Futuramente, há planos de postagem de textos aqui no "Sopa",contando como é a percepção sensorial de “ex-deficientes visuais”. Aguarde...! )


Foram bastante enriquecedores os dois dias deste minicurso. Valeu a pena!!!!


quarta-feira, 25 de maio de 2011

PLANTÃO "SOPA": Mesa-Redonda sobre Inclusão, no Fórum de Integração Universitária!

Por: Débora Rossini

Oooooooooooopaaaa!!!! Tá achando que o "Sopa" dorme no ponto, né? Se você acha isso, está "redondamente enganado"!!!! Rerrerré!!!! Trocadilhos à parte, este post é para falar sobre a mesa-redonda sobre Acessibilidade e Inclusão, presidida por Elaine das Graças Frade e Nilmar Ronizeti Machado, realizada ontem - e que foi um evento vinculado ao Fórum de Integração Universitária, que está rolando na Universidade Federal de Lavras/MG durante toda esta semana!


No evento, foram convidados quatro estudantes da referida universidade, que são pessoas com deficiência, para falarem lá na frente. Três deles são deficientes visuais, e um é deficiente físico. Eles contaram suas histórias, as dificuldades encontradas no meio acadêmico, as estratégias pessoais de superação, o relacionamento interpessoal com as pessoas não-deficientes... enfim, houve espaço para uma discussão bastante saudável sobre o tema.



Mais positiva ainda foi a receptividade da plateia, composta por pessoas sem deficiência, que se emocionaram com as histórias de vida ali relatadas. Não raro, no momento reservado a comentários, muitos dos que estavam na plateia diziam algo do tipo: "Nós, os 'ditos normais', muitas vezes sentimos preguiça e desânimo de estudar... e esses estudantes aí, 'matando vários leões por dia' para atingir seus objetivos!"



Os comentários da plateia também davam sugestões de ações para promoção da verdadeira inclusão de pessoas com deficiência (PCDs).



Uma delas era a proposta de atividades de integração entre as pessoas com diversos tipos de deficiência, no ambiente universitário (de forma que um cego tivesse a oportunidade de interagir com um surdo ou deficiente motor, ou vice-versa, de forma que proporcionasse uma rica troca de experiência entre os diversos tipos de PCDs).



Outra ideia proposta seria a de haver elaboração e ministração de disciplinas nas licenciaturas que abordassem especificamente a Educação Inclusiva; afinal a lei exige que os professores atendam às PCDs... mas cadê a capacitação, no curso de licenciatura?



Terceiro questionamento levantado: tem a disciplina "Introdução a Libras", ofertada no final dos cursos de licenciatura (atendendo a uma lei nacional). Mas será que, em apenas em um semestre, os licenciandos vão conseguir sair fluentes em LIBRAS e capazes de comunicar sobre qualquer assunto com alunos surdos que porventura estiverem matriculados em uma escola regular? (A LIBRAS é uma língua, e, como tal, requer um tempo maior de aprendizado e treino!!!)



Um outro questionamento, feito por alunos de Educação Física, seria a questão da inclusão efetiva e adequada de alunos com deficiência em atividades físicas ou em cursos superiores de Educação Física. Eles alegaram que se fala muito em "inclusão" nessa área, em "Atividade Física adaptada"... mas que , na faculdade, veem poucas abordagens e iniciativas relacionadas a este tema. Você, leitor , ao ler este parágrafo, tá achando que este blog sobre Matemática está fugindo da temática dele, ao mencionar isso aí??? Uê, então leia o post "Matemática e Corpo Humano: Uma coisa tem a ver com outra... ou não?, publicado neste blog no dia 22/11/2010. Aí você vai ver que as diversas áreas do conhecimento não são estanques em hipótese alguma!!! Rerrerré!!! Manjou, leitor? :-)



Agora é com você: se participou do evento relatado acima, dê seus "pitacos" no espaço indicado nesta página!!! :-) E se não participou, mas tem ideias legais pra compartilhar aqui no "Sopa", palpite também!!! :-)

terça-feira, 24 de maio de 2011

PLANTÃO "SOPA" : Marcando presença no Fórum de Integração Universitária!









Por: Débora Rossini




Ooooopaaaaa !!! Olha o Plantão do “Sopa” no Fórum de Integração Universitária, em Lavras/MG!!! O post de hoje fala sobre a palestra de ontem, “ "Implicações administrativas decorrentes da presença de um aluno cego em um curso de Graduação em Matemática. ", cujo prelecionista foi Renato Marcone José de Souza, doutorando em Educação Matemática pela UNESP de Rio Claro/SP.





O tema abordado na palestra foi a história de um estudante de Matemática, de uma instituição federal, e que é conhecido do palestrante. Esse estudante tinha perdido a visão depois de ter ingressado no curso de Matemática. Com muita força de vontade e desejo de continuar fazendo o curso escolhido, o rapaz prosseguiu em seus estudos. É interessante destacar que, em meio aos estudos, o rapaz ainda teve de lidar também com a reabilitação – já que perdeu a visão adulto. Ou seja, tinha de aprender a viver como cego: desenvolver habilidades auditivas e táteis extras, aprender a andar com bengala-longa, reaprender a fazer as atividades da vida diária, etc!





No entanto, na época em que o rapaz era estudante de Matemática (final da década de 1990 e durante alguns anos da década de 2000), a instituição não estava preparada para atender a um aluno cego no curso de Matemática. Que metodologias utilizar? Como lidar com o fato de que esse estudante iria levar tempo extra, comparado com os colegas normovisuais, para aprender satisfatoriamente os conteúdos? Como fazer abordagens de tal forma que o processo de ensino-aprendizagem valorizasse as habilidades desse estudante (audição, tato, cálculo mental, capacidade de criar modelos espaciais mentais, etc) e não conflitasse com as limitações (visuais) do estudante?





Durante a palestra, o prelecionista foi mostrando todas as reformulações que a universidade teve de fazer, para que esse estudante deficiente visual prosseguisse no seu curso: adaptações de formas de dar aula, atendimento fora da aula regular (para facilitar a aprendizagem do rapaz), revisão de normas internas da universidade referentes ao tempo máximo de integralização curricular, etc. E, superando dificuldades e driblando barreiras, por vários anos, o rapaz conseguiu se formar!!!!





Após terminar a palestra, Renato Marcone abriu espaço para debate e troca de idéias e experiências – que foi muito produtivo, visto que tinham deficientes visuais entre a plateia. E a “Sopeira” que aqui pilota o teclado teve uma surpresa muito legal!!! Ela descobriu que Renato Marcone é um dos membros do EPURA- Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Matemática Inclusiva, coordenado pela professora Miriam Godoy Penteado - e cujo blog está , há muuuuito tempo, na lista de “Favoritos” do “Sopa”!!!! (Veja lista no canto direito da página). Viram só? :-D É muito legal a sensação de a gente descobrir que o “blog tem cara” (palavras do Marcone, rerrerré!!!), e finalmente conhecer pessoalmente os contatos que, até então, a gente só conhece via internet! :-D Deu para trocarmos rapidamente algumas idéias – e, claro, turbinar a lista de contatos acadêmicos, não é mesmo? Afinal, ambos mexemos com Matemática!!! :-D





Agora é com você leitor! Caso você também tenha assistido à palestra na UFLA, conte suas impressões no espaço de comentários! E se você que está lendo este post não participou , mas tem idéias interessantes pertinentes ao tema abordado, não fique acanhado: dê seus “pitacos” também !!!




E hoje, das 16 às 18 horas, tem uma mesa redonda, cujo tema é Acessibilidade e Inclusão!!! Se você é participante do evento, dá uma olhadinha no post de ontem- e veja direitinho o local e os dirigentes!!!


segunda-feira, 23 de maio de 2011

Começa hoje o Fórum de Integração Universitária!!!!

EPor: Débora Rossini


Ooooopaaaa!!! Olha o “Sopa” aqui, de novo e de olho no Fórum de Integração Universitária, que está rolando na Universidade Federal de Lavras/MG (UFLA) durante toda esta semana!!!! :-)


As inscrições foram encerradas no dia 18 de maio de 2011, e o evento acontece entre os dias 23 e 29 de maio de 2011, na cidade de Lavras/MG!!!


Recebemos, via Orkut, a pergunta de uma leitora, que desejava saber quem estará ministrando os minicursos e palestras referentes às questões que envolvem Deficiência/Inclusão/Acessibilidade. Nossa, é tanta gente diferente que será prelecionista! Bom, para não ficar fazendo suspense nos leitores (afinal,nós divulgamos o evento em postagem anterior,né?), colocamos aí para você uma listinha com os principais eventos que versam sobre este tema. MAS ATENÇÃO: a programação completa você encontra em http://www.dce.ufla.br/fiu/ . Então, é importante frisarmos que o Fórum de Integração Universitária abrange diversas temáticas, de diversas áreas do conhecimento – logo, a programação completa não iria caber em um único post do nosso blog, né? Rerrerré! Então, se quiser ver tuuuuuudo, acesse o link indicado lá. Mas para facilitar sua tarefa, seguem-se alguns dos eventos sobre Deficiência/Inclusão/Acessibilidade que “catamos” da página principal!!! :-)


Vale lembrar que todas as atividades listadas abaixo serão realizadas nas dependências da Universidade Federal de Lavras/MG .



Segunda-feira 23/05/2011


Curso: Produção de Significados na Educação Matemática


Palestrante:Romulo Campos Lins


Horário: 21 as 23 h


Local: Anfiteatro da Biblioteca Universitária


***


Curso: "Implicações administrativas decorrentes da presença de um aluno cego em um curso de Graduação em Matemática. "

Prelecionista: Renato Marcone José de Souza

Horário: 21 as 23h


Local: Pavilhão 03 - sala 02


--------------------------------------------------------------------------------------------------


Terça-feira 24/05/2011



Atividade: "Mesa Redonda: A inclusão das pessoas com deficiência na Universidade: estratégias para a aprendizagem e caminhos da acessibilidade."


Dirigentes: Nilmar Ronizeti Machado; Elaine das Graças Frade.


Horário: 16 as 18 h


Local: Anfiteatro da Biblioteca Universitária


***


Curso: Praticas Inclusivas no ensino de Física e Matemática - Parte 1


Prelecionista: Paola Trama Alves dos Anjos


Horário: 21 as 23 h


Local: Pavilhão 3- Sala 03


***


Curso: "Educação Inclusiva, Ensino de Física e a Formação do Professor "


Prelecionista: Lucia da Cruz de Almeida


Horário:21:00 as 23:00


Local: Pavilhão 06- sala 01
---------------------------------------------------------------------------------------------------



QUARTA-FEIRA 25/05/2011


Curso: "O CENAV no Contexto Educacional "


Prelecionista: Rosa Maria Teixeira e outros.


Horário: 08h as 10h


Local: Pavilhão 03 sala 05


(Nota: para quem não sabe, CENAV é o Centro de Apoio às Necessidades Auditivas e Visuais. É vinculado à Prefeitura Municipal de Lavras/MG.)


***



Palestra- "Relacionamento Interpessoal com o Deficiente Visual"


Prelecionista: Adelene de Souza
Horário: 10 as 12 h


Local: Pavilhão 03 sala 05


***



Curso: Praticas Inclusivas no ensino de Física e Matemática – Parte 2


Prelecionista: Paola Trama Alves dos Anjos


Horário: 21 as 23 h


Local: Pavilhão 3- Sala 03
----------------------------------------------------------------------------------------------------



Quinta-feira 26/05/2011


Palestra: PROET - Programa de Educação para o Trabalho - " Transformando a Deficiência em Eficiência"


Prelecionista: Ellen Mirian Lopez de Carvalho


Hora: 09:30 às 11:30


Local: Pavilhão 03-Sala 02


***


Palestra: Libras? Que Língua é Essa?


Prelecionista: Delmir Rildo Alves


Hora: 16 as 18h


Local: Pavilhão 03 sala 04


--------------------------------------------------------------------------------------------------



Mas espera aí que não acabou!!!! Se você é bastante interessado (a) em Educação Matemática em geral, acesse a página principal do evento, cujo link foi fornecido neste post: tem um monte de coisa interessante lá!!! :-)


Para verificação da programação completa, siga o passo-a-passo abaixo:




  1. Acesse http://www.dce.ufla.br/fiu/ ;



  2. Verifique as opções de login: se você é estudante da UFLA, vá em “Login Alunos UFLA”. Se você é visitante já inscrito no evento, vá em “Login Visitantes”. Entre com seus dados e pronto! Viu como é fácil?


O post de hoje fica por aqui... afinal, a “Sopeira” que escreve o post de hoje deseja assistir a mais uma palestra desta tão falada semana acadêmica!!!!!


Caso você que esteja lendo este blog seja também participante do evento -e esteja inscrito em alguma palestra ou minicurso da lista que demos neste post- está , mais uma vez, convidado a compartilhar conosco suas impressões sobre as apresentações! Vale utilizar o espaço de comentários do nosso blog, vale e-mail e vale orkut!!!! Rerrerré!!! Queremos saber o que a galera está achando!!! :-)

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Deficiência e Inclusão fazem parte das abordagens do Fórum de Integração Universitária, em Lavras/MG

Oooooooooopaaaaaa!!!!! Olha os "Sopeiros" na área!!! De vez em quando, a gente dá uma sumidinha involuntária da internet... mas vocês, leitores do Sopa, são compreensivos e entendem que vida de estudante de Matemática não é fácil, né? Rerrerré! É um tantão de provas, trabalhos, seminários para apresentar... ufa!!!! Mas a gente tenta conciliar tudo, direitinho! :-)

Falando em vida acadêmica, haverá, entre os dias 23 e 27 de maio de 2011, o Fórum de Integração Universitária (FIU), que será realizado na Universidade Federal de Lavras (UFLA), em Lavras/MG. Será uma semana acadêmica que proporcionará uma série de eventos, de diversas áreas do conhecimento. E, entre eles, haverão palestras e mesas-redondas para tratar de temáticas relacionadas à Educação Inclusiva, Deficiências e a integração das pessoas com necessidades especiais à sociedade - sobretudo no meio acadêmico.

Sendo assim, quem for participar do evento e tiver se inscrito em atividades que versem sobre a temática da Deficiência/Inclusão/Educação Inclusiva, está convidado a deixar suas impressões e opiniões, acerca das abordagens feitas em tais palestras/mesas redondas, em nosso blog! :-) Para os que toparem essa ideia, não se esqueçam de colocar também o nome , qual o vínculo com a UFLA (estudante, professor, técnico-administrativo, visitante), qual o curso em que estuda na UFLA (se for o caso), e qual (ou quais) palestras sobre Deficiência/Inclusão de que participaram!

Acredita-se que é bastante interessante ver a opinião das pessoas que participam do evento, a fim de propor uma enriquecedora troca de ideias que, motivadas por apresentações na semana acadêmica, possam ter continuidade no espaço virtual -e, gradativamente, gerar mais ações transformadoras no mundo real . Dessa forma, cada um de nós pode contribuir para que haja uma sociedade menos excludente! :-) Viu só que legal???

Quem quiser mais detalhes sobre o Fórum de Integração Universitária, pode acessar o site da Universidade Federal de Lavras (sede do evento) , através do link
http://http//www.dce.ufla.br/fiu/

E quem quiser ver a programação completa do evento, acesse a página do DCE (Diretório Central dos Estudantes) da UFLA:
http://http//www.dce.ufla.br/fiu/

Estamos aguardando as ideias, opiniões e sugestões dos participantes! :-) Um abraço!

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Um Software Livre : Tradutor Digital de Português/LIBRAS!!!!

Por: Débora Rossini

Oooooopaaaaa!!!! De novo na net!!!! Pra quem se interessa pela Inclusão e curte tecnologias - sobretudo as computacionais- lá vai uma novidade envolvendo o fantástico mundo do Software Livre!

O "achado" em questão é um texto que é do mesmo site que foi recomendado em post anterior, o "Blog do BHLegal.Net". O texto conta a história do software (livre) desenvolvido por Noelle Nascimento, ex-estudante de Engenharia de Computação; é um software inédito que converte a fala e a escrita em português para Libras. Isso mesmo: é como se fosse um "intérprete digital"!!!!

"-Peraí, mas o famoso software Rybená não faz isso não?" - você deve estar se perguntando...

Bom ,o Rybená tem algumas limitações... pois ele , segundo a reportagem, "disponibiliza um recurso parecido, porém só para textos selecionados de páginas da Internet e não utiliza o recurso de voz."

"-Obaaa! Quer dizer que posso adquirir esse software já?" - certamente você deve estar ansiosamente se perguntando... e roendo de curiosidade para ver o software sendo executado...! Rerrerré!!!

Calma, leitor... ele ainda é um protótipo! Segundo o texto, "o software VE-LIBRAS, como é chamado, ainda é um protótipo, mas deverá diminuir drasticamente essas barreiras de comunicação e proporcionar mais acessibilidade para a comunidade surda, quando finalmente chegar ao mercado. 'O objetivo é tornar mais acessível a Libras e facilitar a comunicação entre essas pessoas. Um pai, por exemplo, poderá conversar com seu filho através deste software mesmo que não tenha domínio da língua de sinais. O mesmo vale para as salas de aula', disse Noelle." Ou seja: uma ferramenta que dará uma "mãozinha" e tanta na Educação Inclusiva, não é mesmo? ;-)

Quer ler o texto original, na fonte, na íntegra? Lá vai o link: http://www.bhlegal.net/blog/ve-libras-software-livre-traduz-fala-e-escrita-para-a-lingua-de-sinais/

Boa leitura!!!

Preconceito & os deficientes

Ooooooopa!!!! Olha o que achamos de útil na internet e recomendamos!!!

O blog denominado "Blog do BH Legal.Net- Por uma BH mais acessível!" traz uma série de posts escritos por Adriana Lage. Os textos são bastante úteis para reflexão sobre a questão da inclusão e acessibilidade. Um dos posts que fazemos questão de recomendar é sobre um assunto muito sério e que está presente no cotidiano dos deficientes/pessoas com necessidades especiais: o PRECONCEITO!!! (Calma, que mais pra frente do texto vai aparecer o link...)

Tem situações de preconceito explícito, na qual os "ditos normais " ("normais??!??!??!) acham -e demonstram abertamente - que o deficiente é um "coitadinho" e que sempre precisa de pessoas que façam as coisas e se expressem por eles. Cá pra nós, leitores do "Sopa": grande equívoco achar isso, não? (Quem lê o "Sopa" e outros sites e blogs sobre Inclusão sabem que as pessoas com deficiência têm talentos como qualquer pessoa... basta dar-lhes as oportunidades, tecnologias assistivas e condições de acessibilidade adequadas!!!!!)

Mas tem situações de preconceito velado, ou "mascarado", que são igualmente irritantes para uma pessoa com deficiência!!!! >:-( E o pior de tudo é que, no nosso país, costuma ser assim: pergunta-se para alguém se esse alguém possui preconceito, e a pessoa diz: "-Nããooo! Que ideia!!!" , e dali a alguns minutos essa mesma pessoa está sendo a causadora de algum episódio de preconceito velado... snif, snif!!! :-(

Tá, mas como esse preconceito velado ou mascarado é demonstrado?

Dê uma olhada nos exemplos que Adriana Lage, cadeirante, postou no site que indicamos no início deste texto. Note que tem , inclusive, exemplos relacionados à instituição de ensino onde Adriana estudava!!!!! Pô, a lei da Educação Inclusiva tá aí... mas como efetivar a inclusão na Educação se há barreiras de acessibilidade, incluindo as arquitetônicas???? (Como a pessoa com deficiência irá estudar, fazendo valer seu direito garantido por lei???????)

Lá vai o link que prometemos no início do texto:
http://http//www.bhlegal.net/blog/novas-situacoes-de-preconceito-velado/

(Obs: caso seu computador esteja apresentando algum problema que faça com que o link não abra, não se desespere; não precisa de achar que o computador esteja tendo preconceito contra você... rerrerré! É só copiar o link e colar na barra de endereços do seu navegador. Aperte "enter", e... lá está a página desejada! "Manjou?" )

Boa leitura e boas reflexões! ;-)

terça-feira, 3 de maio de 2011

Blog "Mãos em Movimento" - o "Sopa" recomenda!!!!!!!

Oooooopa!!!! Descobrimos um blog bastante interessante para quem está envolvido com a questão da Educação Inclusiva, e que você não pode deixar de dar uma olhada!!!

http://maosemovimento.blogspot.com/

O referido blog, denominado “Mãos em Movimento”, trata não só da questão da surdez e da educação especial para surdos, como também de outros tipos de necessidades especiais. Conforme a apresentação deste, logo na primeira página, é um “Blog sobre educação de surdos e tudo mais que se refere a surdez, Libras, língua de sinais, Pedagogia, audiodescrição, deficiência múltipla, surdocegueira, deficiência visual e Psicopedagogia.”

A autora do blog é Roseli Gonçalves do Espírito Santo, que é pedagoga – com habilitação em Deficiência da Audio-Comunicação. Ela trabalha como professora de surdos em uma escola especial, da Rede Municipal de São Paulo.

E você, internauta, o que está esperando?! Corre lá, que tem um monte de posts legais te esperando!!! :-D