Imagem

Imagem
(Crédito da foto: www.santoscity.com.br)

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Caminhada para cegos é "ESPORTE RADICAL" - no mau sentido, infelizmente!!!!

Por: Débora Rossini

Se você é cego ou com baixa visão , entende perfeitamente qual é o "drama" na hora de sair caminhando por aí, não é mesmo? Risco de "trombar" em postes, em orelhões, em outras pessoas (e ainda ser xingado injustamente)... risco de ser atropelado... enfim, locomover-se na rua - seja por necessidade ou por um simples desejo de dar um "rolê" por aí, já que ninguém é de ferro- torna-se uma verdadeira "aventura", infelizmente. :-( Bengala-longa não resolve tudo... e cão-guia é para poucos!

Para as pessoas de visão normal (e funções locomotoras normais, claro!), a caminhada pode ser classificada como "leve atividade física". Mas, para a galera com deficiência visual , a caminhada é um verdadeiro "esporte radical"!!! Afff!!!! O negócio foi mencionado com um toque de humor aqui, para tentar atenuar o desconforto psicológico de quem enfrenta essa "barra" todo dia... mas a coisa é bastante séria, galera!!!! Muito sério mesmo. Mesmo que o indivíduo com potência visual escassa ou nula tenha extrema capacidade de atenção e concentração, tenha excelente capacidade de discriminação auditiva e de orientação espacial, tenha conhecimento enorme da rota percorrida, e seja um "expert" na habilidade de utilizar a bengala-longa... ainda assim, está sujeito a riscos em seu percurso. Do jeito que o trânsito está hoje em dia (intenso tanto em fluxo de veículos quanto em falta de educação e/ou de atenção de boa parte dos condutores dos mesmos), mesmo um cego experiente corre risco de ser atropelado, e... infelizmente, "partir" para sempre. No blog do Beto Pereira, recentemente, foi postada uma triste notícia que comprova isto. Veja: http://www.betopereira.com.br/2011/12/adeus-ao-amigo-giovani-machado.html

Com perda de vidas humanas, não se brinca nem um pouco. O que se tem a fazer, agora, é desejar todas as energias positivas para a família do Giovanni Machado, para que ela se conforte e supere a perda do ente querido. E, entre outras coisas igualmente muito importantes a serem feitas - para que isto não se repita com outros deficientes visuais- está a educação para o trânsito (principalmente dos motoristas , digamos, "apressadinhos" ou desatentos). Além disso, a melhoria da sinalização - principalmente a adaptada para deficientes visuais- em diversos pontos das nossas cidades (principalmente os mais perigosos!) iria ser de grande valia. (Se você, leitor do "Sopa", tem mais alguma sugestão interessante, escreva em nossa Seção de Comentários. Agradece-se desde já a sua contribuição para melhorar a qualidade de vida da turma que tem a visão comprometida!).

Além dos perigos mencionados acima, ocorrem contratempos constantes no percurso do pedestre cego: é a calçada que tá esburacada... é uma outra pessoa (ou grupo de pessoas) que não dá licença pro cego passar (e ainda xingam o cego, como se ele estivesse "atrapalhando" o caminho!)... etc. Para pessoa com baixa visão é ainda pior, uma vez que nem sempre dá para um vidente detectar , de cara, que ela tem a visão pouco potente; assim sendo, não raro ocorre de o deficiente visual inadvertidamente trombar com uma pessoa ou objeto, e ouvir a famosa frase: "NÃO OLHA POR ONDE ANDA???" (Aff.! Dá vontade de responder, "na lata": "-Bem que eu gostaria, né?"). >:-(

Horas depois de ter ficado bastante chateada com a supracitada nota de falecimento dada no blog do Beto Pereira, tive, finalmente, um momento de esperança - que, certamente, será extensivo a toda a galera que possui potência visual fraca ou nula. Um leitor do "Sopa" me mostrou um vídeo bem legal- trata-se de uma reportagem exibida no Jornal Nacional do dia 27/12/2011. Ela mostra um grupo de estudantes de Engenharia Elétrica, em Minas Gerais, que está desenvolvendo um protótipo de sinalizador para que os deficientes visuais andem com mais segurança nas ruas, ao atravessá-las. O pequeno dispositivo fica no braço do usuário - e,através de vibração sincronizada com a sinalização do semáforo, ele indica se o sinal está verde ou vermelho. Olha que legal: a tecnologia assistiva mencionada funciona por VIBRAÇÃO- que, somada à percepção auditiva aguçada de um cego, proporciona-lhe mais segurança para fazer a travessia na rua. Assim sendo, o usuário pode contar com mais um estímulo sensorial além da audição - o que, aliás, garante segurança ao cego mesmo em ambientes muito barulhentos! UAU!!! :-D

"-Obaaaa!!!! Finalmente uma notícia legal no noticiário, pra fechar 2011!"- certamente você está pensando.
Tá curioso? Clique no link para ver o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=ufdP0uTUcB8

Agora é torcer para que o produto desenvolvido pelos universitários mineiros consiga chegar ao mercado!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

"Ouviu falar?"

Por: Débora Rossini

Navegando na internet, dei de cara com um site muito legal, cujo nome é o título deste post!

Ele traz muitas dicas e informações interessantes sobre audição e fala - úteis tanto para quem possui problemas de audição e/ou fala, quanto para quem não tem nada disso - mas que deseja se manter informado a respeito!

Uma postagem bem interessante é intitulada "Os aparelhos auditivos substituem a audição natural?" . De acordo com o texto ( e com depoimentos de pessoas que usam aparelhos de amplificação sonora individual, lidos e ouvidos pela "Sopeira" que pilota o teclado aqui no blog) a resposta é NÃO. Tais maravilhas tecnológicas, de fato, melhoram bastante a qualidade de vida de quem escuta mal, mas não reproduzem exatamente o mecanismo da audição natural.

"-Nossa!!!! Então, como é que o pessoal com audição pouco potente procede para melhorar sua qualidade de vida, diante disso tudo?" - se você não pertence a esta turma, certamente está se indagando, curioso.

Oras, felizmente o ser humano tem uma incrível capacidade de adaptação, não é verdade? O usuário de tais apetrechos necessita desenvolver mecanismos e estratégias para conseguir beneficiar-se da amplificação de som que é proporcionada, tais como: complementação da percepção auditiva com a visual; aprender de que lado vem um som; etc. Com orientação fonoaudiológica, dá para tirar bastante proveito do aparelho auditivo!!!

Quer saber mais detalhes? Confira:
http://www.ouviufalar.com.br/audicao/os-aparelhos-auditivos-substituem-a-audicao-natural/

Só uma observação aqui: é claro que, mesmo com o aparelho e com o treinamento auditivo proporcionado pelas "fonos", são indispensáveis certas atitudes inclusivas com a pessoa que não ouve bem - pois, de todo jeito, ela vai ter alguma dificuldade em discriminar os sons... Assim sendo, há diversas pessoas que se queixam de dificuldades para falar ao telefone... ou para conversar em ambientes ruidosos... ou para manter um diálogo quando o interlocutor não está de frente para ela... em maior ou menor intensidade, esse tipo de dificuldade vai existir!

"E aí?" - você deve estar se perguntando. - "Como então, facilitar a vida dessa galera que não ouve bem?"

Os próprios membros dessa turma explicam para você, rerreré! Há blogs como "Crônicas da Surdez", "Escreve, que escuto!", "Desculpe, não ouvi", "Somos Todos Igualmente Diferentes" (dentre outros), que são escritos por pessoas com deficiência auditiva. Os dois primeiros blogs mencionados são escritos por usuários do aparelho auditivo comum (Paula Pfeifer e Rodrigo Nunes , respectivamente), e os dois últimos, por usuárias do Implante Coclear (Lak Lobato e Diéfani Piovezan, respectivamente). Nesses blogs, você poderá ver o que seus respectivos autores , a partir de suas experiências, abordam acerca desse assunto! ;-)

Boa leitura!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Acessibilidade em Quadrinhos - Turma da Mônica

Por: Débora Rossini

Navegando pelo mural do Facebook (sim, o "Sopa" tem perfil lá!!!) encontrei um link bem interessante! Trata-se de uma historinha da Turma da Mônica, intitulada "Acessibilidade". O público-alvo, como é de se imaginar, é o infantil; mas isso não significa que o conteúdo esteja restrito à molecada, rerrerré!!! De uma forma leve, dá para a galera "marmanja" também aproveitar... e assimilar, de forma descontraída, os conceitos de acessibilidade nas escolas, bem como o impacto positivo desta no dia-a-dia das pessoas.

Quer o link? Lá vai!!! http://www.monica.com.br/institut/acessibilidade/capa.htm#top
Para ir "folheando" as páginas desta revistinha em quadrinhos virtual, é só procurar a palavra "Capítulo" (seguida de um número) no canto direito da página - e, assim, ir "passando as páginas" a cada vez que precisar. Se bem que, na verdade, acredito que a palavra mais adequada seria "página" (seguida do número desta) e não "capítulo", né? Bom, mas o que importa é que o link funciona!!! :-) Aproveite!

Xiiiii... mas "péra lá": tem uma galera enorme composta por pessoas que não enxergam, e que leem e seguem o "Sopa"!!!! Se você que está lendo este post pertence a esta turma, certamente tá pensando:

"-Pô, mas que contradição da parte do 'Sopa'! Tá divulgando um texto sobre acessibilidade, mas... o próprio texto está inacessível para mim, que uso leitor de telas!!!!!"

Primeiramente, esclarece-se o seguinte: taí um exemplo prático do impacto negativo que a falta de acessibilidade (no caso aqui, acessibilidade de ferramentas computacionais) pode causar na vida de um deficiente visual!!!! Só quem tem (ou já teve) falta de potência visual entende a situação chata... ainda mais que boa parte das mídias explora habilidades visuais das pessoas, para que o material seja apreciado pelo público!!! E infelizmente os leitores de telas disponíveis atualmente esbarram nessa questão, pois... desenhos, figuras, quadrinhos, tabelas e outras formas de comunicação que não o texto verbal ficam inacessíveis para a galera que não enxerga...! Buáááá!!!!! Seria tão bom que os leitores de tela computacionais dessem acesso a figuras, também!!!!

"Segundamente": relaxe, leitor!!! Enxugue essas lágrimas aí e guarde seu lenço para outra coisa: a "Sopeira" que pilota este teclado está morrendo de vontade de trazer para você - que tem a potência visual fraca ou inexistente- o conteúdo da historinha, transcrito em modo texto!

"-Obaaaaa!!!! "- certamente, a galera que não enxerga gritou em coro.

Mas vamos com calma nesta tarefa... sabe por que? Pelo fato de o trabalho original estar protegido por leis de direitos autorais, "pegaria mal" pro "Sopa" sair transcrevendo (leia-se: fazendo um trabalho em cima de outro preexistente) e publicando por aí, sem a permissão do autor, entende...? Portanto, espere um pouco: caso haja permissão de quem produziu o material original, aí publicarei uma versão em texto do" dito cujo", rerrerré!!! Ok? O "Sopa" preocupa-se bastante com essas questões de leis e direitos autorais; afinal, não queremos prejudicar alguém em nenhuma hipótese... manjô? ;-)

Vamos aguardar... pensamento positivo!!!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

"Forte" Felipe!

Por: Débora Rossini

Oooooopaaaaa!!!! Antes de ontem - 13 de dezembro- foi o Dia do Deficiente Visual. E mesmo com o aperto das provas e trabalhos de fim de ano letivo (áááfff !!!!!) , foi possível dar um jeitinho de o "Sopa" não deixar passar essa data em branco (mesmo que com dois dias de atraso, devido ao "corre-corre"... mas tudo bem, rerrerré!) !!!!!

Por coincidência, foi justamente antes de ontem, exatamente num 13 de dezembro, que eu tive a oportunidade de ver um vídeo, produzido pela TV Universitária da Universidade Federal de Lavras e que está disponível no YouTube. A reportagem - que na verdade foi veiculada na tevê há alguns meses atrás- mostra um exemplo de que deficiente visual pode - E DEVE!!!- fazer o curso universitário QUE LHE AGRADA, mesmo com as dificuldades que possam ocorrer devido à limitação de visão! Ou seja: "sem essa" de escolher este ou aquele curso porque "parece ser o mais fácil".

O grande "astro" do vídeo é o grande amigo Felipe Fortes, estudante do sexto período de Física na Universidade Federal de Lavras. O cara faz jus ao sobrenome dele: com uma incrível força de vontade (olha o trocadilho aí!!!!) , ele "manda ver" em um curso de graduação que, tradicionalmente, depende de habilidades visuais para ser feito: afinal, são inúmeras as fórmulas matemáticas e físicas, tabelas, gráficos, fluxogramas, desenhos, acompanhamento de experimentos em laboratório!!!!!

No vídeo, ele conta que perdeu a visão aos 18 anos - mas, mesmo assim, fez cursinho pré-vestibular , a fim de conquistar uma vaga no curso superior de Física. Ele explica também quais os motivos que levaram-no a escolher tal curso. Alguns de seus professores também aparecem dando entrevista, contando como realizam adaptações em suas aulas para que o Felipe acompanhe bem o conteúdo ministrado.

Curiosamente, a ideia para esta postagem veio de um leitor assíduo deste blog- que, depois de ver o vídeo no You Tube, perguntou por e-mail se o "Sopa" já tinha publicado algo acerca do assunto. "Seria bom, não é?"- disse o leitor em sua mensagem. Então, lá vai o link para o vídeo (que, por sinal, já foi bastante divulgado aqui na UFLA)!!!!

http://www.youtube.com/watch?v=VEl8UQDR-1M

Tá aí mais uma prova, uma evidência, uma demonstração, de que, mesmo com a potência visual comprometida, é possível para uma pessoa desenvolver talentos, habilidades ... e atingir objetivos como qualquer pessoa que tem a visão funcionando a todo vapor!!! Rerrerré!!!!! É difícil, mas é possível!!!

A mensagem do "Sopa" - destinada a toda a galera que enfrenta a batalha da vida com a falta de potência visual - é a seguinte:



"Você tem baixa visão ou é cego?
Se respondeu 'sim'... não tem como negar que a vida de deficiente visual é uma batalha sim. É árdua sim. Tem hora que estressa, sim.
Só quem é ou já foi deficiente visual sabe que o dia-a-dia é mais desafiante, devido à falta de acessibilidade - e, principalmente, de sensibilidade de muita gente "dita normal" que tem por aí.

Mas a vida é um grande jogo. E você tem todo o jeitão de vencedor! Você tem toda a força do mundo para fazer o que quer, o que sonha, o que gosta. Há dificuldades devido à falta de visão, há um maior esforço despendido, mas... nada se compara ao gostinho de vitórias que, pouco a pouco,vão aparecendo.

Estude, trabalhe, desenvolva talentos, dedique-se a algum "hobby", faça amigos!!! E lembre-se de que, felizmente, ainda existem bastantes pessoas que realmente são suas aliadas nessa batalha cotidiana ... e não fique dando ouvidos para pessoas preconceituosas e desinformadas. Como tudo que é mais difícil acaba tendo mais valor, saiba que as suas conquistas vão ter um gostinho muito mais interessante, depois que você der conta de que superou muitos obstáculos que muita gente, tachada de "normal", não consegue... Como diria o grande Jairão (Jairo Marques) do blog "Assim como você": "- Bóra 'dominar' o mundo!!!!"

Fica aqui, então, a presença marcada pelo "Sopa" , em relação ao Dia do Deficiente Visual deste ano!!!