Imagem

Imagem
(Crédito da foto: www.santoscity.com.br)

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Deficiência Visual na Universidade: a história de Norman

Por: Débora Rossini

Oooooopa!!! No "plantão internético" de hoje, o "Sopa" traz para você a história do estudante universitário Norman Percival, que cursou Serviço Social na Universidade Federal do Pará - e que, à época do depoimento, era aluno de especialização em Políticas Públicas no mesmo estabelecimento.

A história de Norman foi publicada no site Livro Acessível Universal. Ele conta como foi seu preparo para o vestibular, como era a sua vida acadêmica na UFPA, quais as dificuldades para conseguir ter suas necessidades educacionais atendidas... Peraí... necessidades educacionais especiais?! Isso mesmo, o rapaz possui baixa visão severa!!! E ele ainda conta quais as dificuldades (e a falta de compreensão das pessoas) em aceitar e entender as necessidades de uma pessoa de visão subnormal - que possui diversas limitações em relação a uma pessoa normovisual, mas não tem a condição visual tão comprometida como uma pessoa totalmente cega!!! Ou seja, é o intermediário entre o normovisual e o cego. (Mesmo assim, há diversos graus de visão subnormal, você sabia?)

Conforme Norman diz em seu depoimento no referido site, " (..) Costumo sofrer o que chamo de "discriminação às avessas", ou seja, algumas pessoas não compreendem porque eu tenho de usar bengala, pois não entendem que existem fases intermediárias entre quem enxerga e a cegueira [grifos do autor]. (...)" Ou então, ele diz, ainda: "Algo que me chamou muito a atenção foi uma reunião que tive com uma diretora junto com outros colegas deficientes visuais, ela tinha uma cara de espanto por eu poder olhar na direção dela. Talvez estivesse acostumada a ver os colegas deficientes visuais que não conseguem disfarçar suas expressões faciais e que demonstram através da mudança de postura seu desconforto com certas situações." [grifos do autor].

Mas também ele completa, no que se refere à necessidade de atendimento especializado: "Tenho a dizer aos administradores de instituições de ensino que tenham ou ainda terão pessoas com deficiência em seu corpo discente que não tratem alguém com baixa visão severa como se ela não fosse deficiente visual e não precisasse do mesmo atendimento que os alunos cegos. Para a lei somos tão cegos como os outros. Se eu fosse uma pessoa com baixa visão que tivesse capacidade de leitura nem procuraria atendimento especializado". [grifos do autor].

Veja o texto original, completo, aqui: http://www.livroacessivel.org/universidade-acessivel-norman.php

Boa leitura! :-)

Um comentário:

  1. Leiam também, no mesmo site mencionado no post acima:

    Universidade e alunos cegos (totais): http://www.livroacessivel.org/universidade-acessivel-liliane-vieira-moraes.php

    Tem também outros depoimentos de universitários com deficiência, no mesmo site. É só acessá-lo e navegr à vontade! :-)

    ResponderExcluir