Imagem

Imagem
(Crédito da foto: www.santoscity.com.br)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Toc, toc, toc... Tem algum matemático deficiente visual aí?

Dizem por aí que matemática já é difícil para quem enxerga... e para quem não enxerga? Dizem por aí que matemática “apavora” muitos estudantes que enxergam. Então, será que pode-se concluir que estudantes que não enxergam  (e que, portanto, teriam dificuldades adicionais para estudar, conforme dito em posts anteriores) iriam considerar a Matemática um problema na vida acadêmica?
 Não obrigatoriamente!!! Em primeiro lugar, qualquer pessoa, independentemente de sua condição sensorial, pode ser boa em Matemática , desde que tenha as habilidades cognitivas adequadas para isso. Basta incentivo, estímulo, métodos pedagógicos adequados e, claro, material escolar e dida´tico adaptado de acordo com suas necessidades!
 Mas aí, muita gente diz por aí: “Engraçado,todos os deficientes visuais que conheço, quando vão escolher uma carreira ao prestar vestibular, escolhem matérias da área de Humanas – Direito, Letras, Filosofia, Psicologia, História, Pedagogia ou , então, Música...” Realmente, isso se observa bastante; mas o que acontece pode tentar ser explicado por algumas razões: ou faltou estímulo adequado para o estudo de Ciências Exatas (entre elas, a Matemática) , ou é porque, no Brasil, ainda é rara e cara a maioria dos materiais didáticos de que os deficientes visuais necessitam – o que faz com que os estudantes cegos, ao optar por carreiras como as listadas acima, tenham minimizadas suas dificuldades em relação a materiais didáticos, bastando para isso recursos eletrônicos que lhe possibilitem produção e recepção de textos, por meio de áudio. (E que mesmo assim,não aniquilam as dificuldades de um estudante cego).
  Ok, mas o propósito deste post é o seguinte: “Existem matemáticos que são deficientes visuais???”
     Para quem não sabe, vai aí um nome famoso: o matemático Euler. (Detalhe interessante: na época dele não haviam essas facilidades tecnológicas que os cegos têm hoje!!!)




Leonhard Euler. (Crédito da foto:[1])

 Leonhard Euler (pronuncia-se “Óiler”) era suíço, e nasceu em 1707. Em 1735, Euler ficou cego de um olho, e, gradativamente, foi perdendo a visão do outro olho. Como ele teve uma memória muito boa, era capaz de fazer enormes cálculos mentais. (Será que ele tinha uma calculadora científica embutida na cabeça? Rsrsrsrs!!!) Bom, mas na época dele não tinham esses recursos tecnológicos que os cegos de hoje possuem. Então, ele aprendeu a escrever fórmulas matemáticas em uma tábua. Como naquele tempo não tinha os tais de Jaws, Dosvox, Virtual Vision (ih, ainda tava loooonge!!!), ele teve de usar recursos alternativos de produçaõ e recepção de caracteres escritos, que lhe desse “feedback auditivo”. Ele tinha, para isso, a ajuda de seus filhos ou de uma secretária.  Ele foi cego por 17 anos, até falecer. Sua produtividade, durante esses 17 anos , somente aumentou!



  “Euler foi tão importante não apenas para a matemática, mas também a física, engenharia e astronomia, que termos como: Número de Euler, Números Eulerianos, Fórmula de Euler, significam coisas diferentes de acordo com o contexto.” [1]

 E muitos de nós, que temos a capacidade visual intacta, ainda reclamamos de disciplinas que utilizam essas ferramentas desenvolvidas por Euler,achando complicado fazer Cálculo 1, 2, 3, Numérico, etc... Isto serve para uma boa reflexão da nossa parte...!




Crédito da foto:[3]]

Crédito da foto:[2]

Crédito da foto: [4]
   Há também um texto muito legal na internet, que , “googlando”, achamos por aí. Ele se chama “The World of Blind Mathematicians ”. Tá em inglês; portanto, está aí uma oportunidade divertida para praticar o idioma! 

 Concluindo este post, deve-se destacar que, se uma pessoa com deficiência visual tem boa capacidade de memorização e de raciocínio abstrato para mexer com números; possui boas habilidades de orientação e mapeamento espacial; se ele consegue imaginar figuras geométricas,sólidos em revolução e imaginar sistemas de coordenadas; e, principalmente, se GOSTA de mexer com isso tudo, ele não só pode- como deve!!! - aprofundar seus estudos de matemática, para fins de profissionalização. Basta ter a infra-estrutura adequada de material humano e didático para o auxiliar! :-)

Quer ler mais algo sobre o tema?


http://www.lerparaver.com/node/9180

 http://www.cepde.rj.gov.br/imagem_sonora_dv.htm

3 comentários:

  1. Ola, Muito bom esse tema que vocês abordaram, achei super interessante, também serve como uma lição de vida, as vezes quem não tem nenhuma deficiência, vive resmungando da vida, e outras pessoas que teem, fazem coisas que nem imaginamos que poderiam ser capazes!!

    ResponderExcluir
  2. Ótimo assunto, achei muito legal o blog de vcs, ficou 10!
    Tanto a aparência quanto o conteúdo estão muito atraentes, parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  3. Em uma verdadeira "sopa" de letras e números, vocês demonstram que o universo das ciências exatas, incompreensível e "penoso" para muitos, também comporta uma madura discussão sobre Educação e "inclusão". Sem dúvida, conseguiram, com maestria, estimular um olhar muito mais humano na sua área de atuação.

    Parabéns!!!

    ResponderExcluir