Imagem

Imagem
(Crédito da foto: www.santoscity.com.br)

terça-feira, 24 de maio de 2011

PLANTÃO "SOPA" : Marcando presença no Fórum de Integração Universitária!









Por: Débora Rossini




Ooooopaaaaa !!! Olha o Plantão do “Sopa” no Fórum de Integração Universitária, em Lavras/MG!!! O post de hoje fala sobre a palestra de ontem, “ "Implicações administrativas decorrentes da presença de um aluno cego em um curso de Graduação em Matemática. ", cujo prelecionista foi Renato Marcone José de Souza, doutorando em Educação Matemática pela UNESP de Rio Claro/SP.





O tema abordado na palestra foi a história de um estudante de Matemática, de uma instituição federal, e que é conhecido do palestrante. Esse estudante tinha perdido a visão depois de ter ingressado no curso de Matemática. Com muita força de vontade e desejo de continuar fazendo o curso escolhido, o rapaz prosseguiu em seus estudos. É interessante destacar que, em meio aos estudos, o rapaz ainda teve de lidar também com a reabilitação – já que perdeu a visão adulto. Ou seja, tinha de aprender a viver como cego: desenvolver habilidades auditivas e táteis extras, aprender a andar com bengala-longa, reaprender a fazer as atividades da vida diária, etc!





No entanto, na época em que o rapaz era estudante de Matemática (final da década de 1990 e durante alguns anos da década de 2000), a instituição não estava preparada para atender a um aluno cego no curso de Matemática. Que metodologias utilizar? Como lidar com o fato de que esse estudante iria levar tempo extra, comparado com os colegas normovisuais, para aprender satisfatoriamente os conteúdos? Como fazer abordagens de tal forma que o processo de ensino-aprendizagem valorizasse as habilidades desse estudante (audição, tato, cálculo mental, capacidade de criar modelos espaciais mentais, etc) e não conflitasse com as limitações (visuais) do estudante?





Durante a palestra, o prelecionista foi mostrando todas as reformulações que a universidade teve de fazer, para que esse estudante deficiente visual prosseguisse no seu curso: adaptações de formas de dar aula, atendimento fora da aula regular (para facilitar a aprendizagem do rapaz), revisão de normas internas da universidade referentes ao tempo máximo de integralização curricular, etc. E, superando dificuldades e driblando barreiras, por vários anos, o rapaz conseguiu se formar!!!!





Após terminar a palestra, Renato Marcone abriu espaço para debate e troca de idéias e experiências – que foi muito produtivo, visto que tinham deficientes visuais entre a plateia. E a “Sopeira” que aqui pilota o teclado teve uma surpresa muito legal!!! Ela descobriu que Renato Marcone é um dos membros do EPURA- Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Matemática Inclusiva, coordenado pela professora Miriam Godoy Penteado - e cujo blog está , há muuuuito tempo, na lista de “Favoritos” do “Sopa”!!!! (Veja lista no canto direito da página). Viram só? :-D É muito legal a sensação de a gente descobrir que o “blog tem cara” (palavras do Marcone, rerrerré!!!), e finalmente conhecer pessoalmente os contatos que, até então, a gente só conhece via internet! :-D Deu para trocarmos rapidamente algumas idéias – e, claro, turbinar a lista de contatos acadêmicos, não é mesmo? Afinal, ambos mexemos com Matemática!!! :-D





Agora é com você leitor! Caso você também tenha assistido à palestra na UFLA, conte suas impressões no espaço de comentários! E se você que está lendo este post não participou , mas tem idéias interessantes pertinentes ao tema abordado, não fique acanhado: dê seus “pitacos” também !!!




E hoje, das 16 às 18 horas, tem uma mesa redonda, cujo tema é Acessibilidade e Inclusão!!! Se você é participante do evento, dá uma olhadinha no post de ontem- e veja direitinho o local e os dirigentes!!!


2 comentários:

  1. Olà, gostei donpost sobre a palestra do Renato e do grupo Epura.
    É muito bom poder ampliar os contatos e fortalecer as açoes de educaçao matematica inclusiva.
    Parabéns pelo blog.
    Miriam Godoy Penteado

    ResponderExcluir
  2. @Miriam Godoy Penteado
    Que bom que você ficou satisfeita,Miriam!
    Eventos tais como Semana Acadêmica, Semana de Cursos e similares, proporcionam realmente uma rica troca de experiências. Dá para a gente conhecer pessoas de diversas universidades, de diversas partes do Brasil (e , quem sabe, até do mundo?) e aprender diversos modos de pensar, de pesquisar, de implementar soluções pra questões diversas... muito legal! :-)

    E,com as ferramentas tecnológicas proporcionadas pela explosão da internet, este intercâmbio entre as pessoas da área acadêmica se intensifica.

    Mas o mais legal de tudo é quando a gente já "conhece" diversas pessoas e grupos de pesquisa via internet -- através de blogs, redes sociais, listas de discussão, etc-- e, em um evento que reúne diversos desses indivíduos, com interesses comuns, a gente descobre que aquele blog, aquele perfil em rede social, aquele avatar, aquele "nickname" que "conhecíamos" virtualmente, tem cara!!! Realmente foi uma surpresa bastante agradável.

    Continue lendo o "Sopa" e participando no nosso espaço de comentários deste blog! :-)

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir